quinta-feira, 16 de maio de 2019

O verde é tão diferente nos Açores

Estive em S.Miguel nas férias da Páscoa. Foram 7 dias maravilhosos, com a maior das sortes com o tempo. Na semana anterior tinha estado o tempo sempre enevoado e chuvoso. Na nossa semana, apesar de o dia acordar com o ceú encoberto e até cairem uns chuvisco, até nós sairmos do hotel após o pequeno-almoço, o tempo abria e ficava uma maravilha. Deu para irmos a banhos todas as manhãs! Devido a sermos um grupo grande não consegui desenhar tudo no local, pois havia sempre movimentação e conversas. Mas há fins para os quais não se olham a meios, e neste caso ia começando no sítio, tirava foto e acabava depois. 

Farol da Ponta do Cintrão - S.Miguel 

Igreja de S.Miguel Arcanjo - Vila Franca do Campo - S.Miguel 

Capela de Nossa Senhora das Vitórias - Lagoa das Furnas - S.Miguel

sábado, 27 de abril de 2019

Top do humor do I

I a tentar convencer o H a jogar durante a tarde ...
H vira-se para o I, numa de irmão mais velho: "NÓS temos de estudar..."
I responde-lhe na hora: "Agora és o Smeogol?"

(sério risco de só ser entendida por aficcionados do Senhor dos Anéis)

quinta-feira, 25 de abril de 2019

O Boneco da estante #28


... E o Boneco da estante voa!





... And the Doll on the shelf flies!




... Et la Poupée sur l'étagère s'envole!



quarta-feira, 10 de abril de 2019

Melhorar a alimentação cá de casa, um alimento de cada vez

Decidi há pouco tempo entrar em mais uma epopeia - começar a fazer bolachas e reduzir ao máximo o consumo de bolachas processadas. Digo que é mais uma epopeia, pois é mais uma coisa para a qual terei de arranjar tempo e que deverá entrar no meu rol de "pormenores" a organizar. 

Tem sido uma aventura engraçada. Escolhi umas quantas receitas e cada vez que faço bolachas experimento uma nova. Para ver se consigo agradar a todos os comedores de bolachas cá de casa. Uns gostam das de manteiga, outros gostam das de canela. Uns gostam de bolachas mais doces, outros não... Uns das finas e estaladiças, outros das mais altas e molinhas. Vejamos o lado bom da coisa... Vou poder fazer várias experiências!  :D


Das primeiras que fiz nem me lembrei de tirar fotos. Eram de aveia e desapareceram num ápice.

Esta segunda vez, fiz a típica bolacha de manteiga. Era uma receita para 80 bolachas. Eu fiz metade da receita a pensar que iria ter umas 40 bolachas e quando comecei a colocá-las nos tabuleiros percebi que rendeu bem mais. Aí umas 50 e tal.


Cresceram mais do que esperava e algumas ficaram encostadinhas. Mas, mesmo assim, ficaram com boa apresentação.



Deu para confirmar que o meu forno deixa as bolachas mais tostatinhas num dos cantos do lado esquerdo. E fiquei com vontade de comprar mais um tabuleiro para o forno para conseguir fazer mais bolachas a cada fornada. Assim que saem do forno é muito importantes retirá-las logo do tabuleiro e colocá-las em redes para arreferem rapidamente.

Depois de bem frias, colocam-se as bolachas em frascos herméticos e duram até uns 7 dias. Pelo menos é o que diz a receita, porque é algo que ainda não consegui comprovar! Das duas fornadas só chegaram ao 3, 4 dia.

É tão giro ver o orgulho dos meus filhos a comerem bolachas feitas pela Mãe e sobretudo saber que não têm os químicos, lactose e afins das bolachas processadas.


segunda-feira, 25 de março de 2019

As mil e uma maneiras de o meu maridão me entregar flores...


Eu sair de casa e encontrar esta flor dentro de um cântaro que tenho à entrada. É assim que o meu maridão gosta de me surpreender!




Alguém sabe que flor é esta? (mostra da fineza do humor do dito)


sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019

O Boneco da estante #27


Parece-me que o Boneco na estante está num momento de pura graciosidade, numa de ballet, com pliés e afins.



It seems to me the Doll on the shelf is in a moment of pure grace. A ballet moment, with pliés and all.


Il me semble que la poupée sur l'étagère est en pleine grâce. Un petit moment de ballet, avec pliés et tout.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

Estudos nada científicos com a minha pessoa

Há já mais de um ano a minha irmã mais nova ofereceu-me um daqueles relógios que conta passos, dá a pulsação e mede alguns parâmetros da qualidade do sono. Os dois primeiros são interessantes, mas o que realmente vejo com atenção todos os dias são os dados referentes ao sono. Além de ficar com a consciência diária de que não durmo as horas que devia, é muito interessante ver a distribuição entre o sono profundo e o sono leve e como isto se reflete realmente na forma como me sinto mais ou menos descansada quando acordo.
Nas últimas semanas as horas de sono profundo foram diminuindo gradualmente e apesar de estar a dormir mais ou menos o mesmo número de horas comecei a sentir-me cada vez mais cansada. O meu lado analítico começou a questionar-se e a tentar perceber o que teria mudado na minha vida para isto estar a acontecer. Durante vários dias não consegui perceber. Depois surgiu-me uma desconfiança, mas achei que não deveria ser aquilo. Há uma semana mudei o comportamento que achei que poderia estar a levar à diminuição do sono profundo e não é instantâneamente viu-se o reflexo no tempo de sono profundo!

Atenção que agora tenho de fazer o disclaimer que esta minha "percepção nada científica" é baseada na minha retorcida logica e análise "muito apurada" de dados cuja origem até pode ser um pouco duvidosa.

Posto isto, aqui vai a minha conclusão. Andava no portátil naquele tempo que medeia entre deitar a rapaziada e eu me deitar, pois estive a organizar fotos e a fazer álbuns digitais. Comecei a desconfiar que a exposição a tantas horas de ecrãs estava de alguma forma a ser prejudicial. Às tantas decidi deixar o portátil de parte e fui desenterrar as minhas agulhas de malha e uns novelos de lã que tinha comprado no ano passado (ou se calhar já há dois anos...). Como disse acima, nessa noite foi logo notória a subida repentina no número de horas de sono profundo. E assim continuou nos dias seguintes. A gola que estou a fazer já vai a mais de meio. Daqui a uns dias vou largar a malha e voltar aos álbuns digitais. Estou curiosa por ver qual o impacto no meu sono...


segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Tornar uma coisa chata numa coisa boa


Fui a uma consulta e este meu médico - que adoro - faz-nos esperar horas na sala de espera. Após ter lido as últimas revistas, ter dado uma olhada no telemóvel, já estava em completo desassossego - farta de ali estar. Quando a pessoa que estava sentada à minha frente se levanta para entrar, lembrei-me de puxar do meu livrinho de sketching que anda sempre comigo e desenhar o cadeirão que tinha à minha frente. Sempre gostei dele, com aquele seu ar de quem já acolheu muita gente, dia após dia, sem deixar de dar conforto e aconchego.




E de repente o tempo pareceu-me tão pouco. Já não me importava de ficar à espera. Sabia que deveria ser a próxima e desenhei à pressa. Fui interrompida quando estava a terminar de desenhar a mesinha de apoio, onde está o candeeiro. Como daqui a um mês vou lá novamente, vou rezar para a cadeira onde estive sentada estar livre para poder acabar o desenho. Ou, se não, sento-me por perto e pinto-o tal como está. 

sábado, 9 de fevereiro de 2019

O Boneco da estante #26

Wooo huuu! O Boneco está cheio de energia e está numa de fazer o pino sobre a cabeça. 


Será por ser fim-de-semana e estar a festejar?? 

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Pensava estar livre deste problema "grave"...

Para quem cresceu numa casa cheia de mulheres - o meu Pai tinha que aturar a minha Mãe e mais 3 filhas - havia um problema "grave" sempre à espreita. O "roubo" de roupa umas às outras. Uma pessoa nunca sabia muito bem se a roupa estava a lavar/secar ou perdida noutro roupeiro que não o seu. Nunca foi muito dramático, mas acontecia de fez em quando.

Ora, eu que sou a única lady lá em casa nunca pensei que tal me viesse a "assombrar" novamente tantos anos depois. OK, tive de deixar de comprar meias só pretas e cinzentas, e a minha gaveta de meias ficou muito mais alegre, cheia de bolinhas, corações, roxos, rosas e afins. Mas fora isso, um sossego. Até agora! 

Andava há umas semanas à procura de umas calças de ganga pretas que me tinham desaparecido. Corri a lavandaria, todos os cabides do meu roupeiro, perguntei se alguém as teria visto, nada...  
Há uns dias estávamos, os míudos e eu, no nosso caminho para escola/trabalho e diz-me o H: "Mãe, sabes aquelas calças pretas de que andavas à procura? Acho que poderão ser estas que eu tenho hoje vestidas...". Ou seja, foram parar ao roupeiro dele e têm-as usado ele. Aaaaaaarghhh... Nunca gostei de roupa com berloques e brilhantes, mas quem sabe...


domingo, 3 de fevereiro de 2019

O Boneco da estante #25

O boneco não arranjou chapéu de chuva para toda esta chuva e granizo que tem caído nos últimos dias e tentou proteger-se como pôde. Encostou-se ao cantinho e tapou a cabeça com uma das mãos.




quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Adoro Jacintos!

Nos últimos anos não consegui ter jacintos em casa. Este ano plantei uns bolbos e já estão a começar a surgir os primeiros rebentos. Até agora parecem ser 8.


Agora é esperar... Deverei ter flores lá para Março /Abril. Na embalagem de compra indicava que seriam violetas, mas é sempre uma roleta russa. Pessoalmente os de que gosto mais são dos brancos e dos violetas.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Da nossa hortazinha - A beleza das Couves

Estive um tempo afastada aqui do estaminé. Desculpem-me gente que vem passando por cá por esta pequena ausência. Vou redimir-me e se não me voltar a faltar o tempo (porque a vontade tem estado cá) vão ser inundados de posts que eu andava a congeminar na minha cabeça.

Há umas semanas o meu maridão chamou-me todo orgulhoso para eu ir à horta ver a nossa produção de couves. Ele todo contente por tudo ter corrido tão bem este ano e a partilhar comigo todo o processo e eu a olhar para as ditas e a vendo-as tão giras não resisti a interrompê-lo para ir buscar a máquina (como quem diz o telemóvel) para tirar umas fotos.



I've been away for a while. Sorry to whom have come here during this little absence. I am going to redeem myself and if no lack of time will stop me you'll be flooded with posts on which I've been  working in my head.

A few weeks ago my husband called me very proud of his vegetable garden production to share with me our cabbages. He was happy that everything had gone so well this year and wanted to shared the whole process with me. When I looked at all the cabbages beauty I could not resist interrupting him to get my camera (my phone...) to take some photos.



É tão bom saber que estamos a comer algo que plantámos e que resulta dos nossos cuidados.



It's so good to know that we are eating something planted by us, which is the result of our care.



E o sabor que estes bróculos têm? É uma diferença tão grande daqueles que se compram nas grandes superficies e mesmo daqueles que costumamos comprar nos mercados locais. O H e o I, que normalmente se recusavam a comer bróculos começaram a aceitá-los sem refilar nos seus pratos.


Could I talk about how good they taste? It's quite a difference from those we bought in Supermarkets and also from those we use to bough from local markets. H and I, who normally refused to eat broccoli, began to accept them on their plates without struggling.



As sopas também tem estado muito mais saborosas, sem terem aquele travo "a verde" que por vezes têm, mesmo quando a receita é a mesma.


The soups have also been much more tasty without that "bad green" taste that sometimes they have, even when the recipe is the same.


Não faço uma sopa sem colocar couve-flôr. Agora também tenho aproveitado para fazer mais vezes  legumes assados no forno, aos quais passei a juntar floretes de bróculos e couve-flôr.


I do not make soup without cauliflower. Now I have also made more  frequently roasted vegetables in the oven, and started joining florets of broccoli and cauliflower.



terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Ora aqui está um bom mote de conversa para as reuniões familiares natalícias.

Dêem uma vista de olhos neste anúncio do IKEA de nuestros irmanos.

Já anda aí pelas redes sociais há um par de semanas pelo que parece, mas só hoje o vi. Lá está, sem saber tenho seguido o conselho do IKEA - desconectar-me e ligar-me mais à família e sobretudo aos amigos :)

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

O meu centro de mesa - versão Natalícia

Ao meu centro de mesa já chegou o espírito natalício! 

Normalmente costuma variar entre a versão de Outono (click aqui!) e a versão de Verão (click aqui!). Este ano apeteceu-me dar-lhe um toque diferente. É sempre um momento de felicidade redecorar o meu centro de mesa. Cada elemento tem uma memória associada. Ou associadas a locais visitados ou a passeios com amigas(os).
Este ano passou directamente da decoração de verão para a versão natalícia.